domingo, 16 de abril de 2017

Capítulo 6 – AS LIÇÕES DE AMOR, I. A MENSAGEM DA CRUCIFICAÇÃO


Resultado de imagem para lírios do campo5. Tenho tornado perfeitamente claro que eu sou como tu e que és como eu, mas a nossa igualdade fundamental só pode ser demonstrada através de uma decisão conjunta. És livre para perceber a ti mesmo como um perseguido, se assim escolheres. Contudo, quando escolhes reagir desse modo poderias te lembrar que, segundo o julgamento do mundo, eu fui perseguido e não compartilhei dessa avaliação de mim mesmo. E porque não a compartilhei, não a fortaleci. Ofereci, portanto, uma interpretação diferente do ataque, interpretação essa que quero compartilhar contigo. Se acreditares nela, vais me ajudar a ensiná-la.

6. Como eu já disse, "Assim como ensinas, aprenderás." Se reages como se estivesses sendo perseguido, estás ensinando a perseguição. Essa não é uma lição que um Filho de Deus deva querer
ensinar se quer realizar a sua própria salvação. Ao invés disso, ensina a tua própria imunidade perfeita que é a verdade em ti, e reconhece que ela não pode ser atacada. Não tentes protegê-la tu mesmo, ou esta-rás acreditando que ela é atacável. Não te é pedido que sejas crucificado, o que foi parte da minha própria contribuição para o ensino. A ti está sendo pedido meramente que sigas o meu exemplo diante de tentações muito menos extremas de perceber de forma equivocada e que não as aceites como falsas justificativas para a raiva. Não pode haver justificativa para o injustificável. Não acredites que haja e nem ensi-nes que há. Lembra-te sempre de que aquilo em que acreditas tu ensinarás. Acredita comigo e nós vire-mos a ser iguais como professores.

7. A tua ressurreição é o teu redespertar. Eu sou o modelo para o renascimento, mas o renascimento em si é apenas o alvorecer na tua mente do que já está presente nela. O próprio Deus o colocou aí e, portanto, ele é verdadeiro para sempre. Eu acreditei nele e por conseguinte aceitei-o como verdadeiro para mim. Ajuda-me a ensiná-lo aos nossos irmãos em nome do Reino de Deus, mas antes acredites que é verdadeiro para ti ou estarás ensinando erroneamente. Meus irmãos dormiram durante a assim chamada "agonia no jardim", mas eu não poderia ter tido raiva porque sabia que não poderia ser abandonado.

8. Eu lamento quando meus irmãos não compartilham a minha decisão de ouvir apenas uma Voz, porque isso os enfraquece como professores e como aprendizes. No entanto, eu sei que não podem realmente trair a si mesmos ou a mim, e que ainda é sobre eles que devo edificar a minha igreja. Não há escolha nis-so, porque só tu podes ser o fundamento da igreja de Deus. Só há uma igreja aonde há um altar e é a presença do altar que faz com que a igreja seja santa. Uma igreja que não inspira amor tem um altar escondido, que não está servindo ao propósito para o qual Deus o destinou. Eu tenho que fundar a Sua igreja sobre ti, porque aqueles que me aceitam como modelo são literalmente meus discípulos. Discípulos são seguidores e, se o modelo que seguem escolheu preservá-los da dor em todos os aspectos, não seria sábio da parte deles não segui-lo.

9. Escolhi, para o teu bem e o meu, demonstrar que a agressão mais ultrajante segundo o julgamento do ego não importa. Segundo o julgamento do mundo sobre essas coisas, mas não segundo o conhecimento de Deus, eu fui traído, abandonado, espancado, rasgado e finalmente morto. Estava claro que isso so-mente aconteceu devido à projeção de outros sobre mim, já que eu não causei dano a ninguém e curei a muitos.

10. Ainda somos iguais como aprendizes, embora não seja necessário que tenhamos experiências iguais. O Espírito Santo fica contente quando consegues aprender com as minhas e ser redespertado através delas. Esse é o seu único propósito e esse é o único modo no qual eu posso ser percebido como o caminho, a verdade e a vida. Quando ouves apenas uma Voz, nunca és chamado para o sacrifício. Ao contrário, por seres capaz de ouvir o Espírito Santo nos outros, podes aprender com as suas experiências e ganhar por meio delas, mesmo sem vivenciá-las diretamente. Isso acontece porque o Espírito Santo é um e qualquer pessoa que escute é inevitavelmente conduzida a demonstrar o Seu caminho para todos.

11. Tu não és perseguido e nem eu fui. Não te é pedido que repitas as minhas experiências porque o Espíri-to Santo, a Quem compartilhamos, faz com que isso seja desnecessário. Porém, para usares as minhas experiências construtivamente, ainda tens que seguir o meu exemplo na forma de percebê-las. Os meus irmãos e os teus estão constantemente engajados em justificar o injustificável. A minha única lição, que eu tenho que ensinar como aprendi, é que nenhuma percepção que esteja em desacordo com o julgamento do Espírito Santo pode ser justificada. Eu assumi mostrar que isso foi verdadeiro em um caso extremo, meramente porque dessa forma serviria como um bom recurso de ensino para aqueles cuja tentação de se entregar à raiva e à agressão não seria tão extrema. Minha vontade unida à de Deus é que nenhum de Seus Filhos sofra.

12. A crucificação não pode ser compartilhada porque é o símbolo da projeção, mas a ressurreição é o símbolo do compartilhar porque o redespertar de cada Filho de Deus é necessário para que a Filiação seja capaz de conhecer a sua integridade. Só isso é conhecimento.

13. A mensagem da crucificação é perfeitamente clara:

Ensina só amor, pois é isso que tu és.

14. Se interpretares a crucificação de qualquer outro modo, tu a estás usando como uma arma para agredir em vez do chamado para a paz para o qual ela foi destinada...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...