sexta-feira, 26 de maio de 2017

O discurso do ego


Resultado de imagem para flor silvestre natureza


O discurso e argumentação são próprios do ego. Tratam-se de tentativas de convencimento apresentadas na linguagem tal qual conhecemos. O espírito, estando de posse do conhecimento e da verdade de Deus e seu Reino, eternos e imutáveis, não necessita convencer a ninguém.

Na discussão entre egos em oposição a argumentação é vã, cada um vai defender seu lado, e estarão convencidos de que seu lado representa a verdade. Se houver consenso, este estará do lado do mais forte, ao qual o outro opositor por algum motivo precisa se submeter.

O que mais conhecemos no mundo são discursos e palavras vãs, que enaltecem os egos ou que fazem prevalecer a ordem daquele que está em uma posição privelegiada. Os acordos são superficiais e temporários, e não fazem guarida na alma e no coração.

O ego necessita ter razão, obter controle e obediência, ou perderá sua falsa segurança, o que o levará a mais sistemas de ataque e defesa, e ao consequente desgaste e perda de energia. Os egos em sua verborragia só convencem de fato aqueles que comungam de seus mesmos ideais.

Sim, os mestres também usam a linguagem falada ou escrita, pois este é o tipo de linguagem que conhecemos, mas de fato só são lidos e compreendidos por aqueles que desejam aprender através das mesmas ideias. Mas a palavra é sempre falha na medida em que pode ser interpretada de diferentes formas e servir a diferentes interesses, inclusive aos do ego.

De certo que esta linguagem não é a do espírito, nem de Deus que o criou. Tem que haver uma linguagem incorruptível, que só pode traduzir amor, alegria, paz e a abundância do Reino de Deus.

E quanto a nós, adormecidos no mundo dos sonhos, diante dos egos exaltados, poderemos nos lembrar que Jesus não fez discurso em sua defesa, no dia de seu julgamento. Como discutir diante daqueles qua não sabiam o que faziam, mas que despejavam seu ódio sobre quem só havia ensinado o amor, a paz e a gentileza?

Jesus nos ensinou sobre o perdão diante daqueles que o flagelaram. Nos revelou que a morte não existe para aqueles que são puros de espírito, e que venceram o ego para alcançar a verdadeira Vida.

Diante daqueles que insistem em nos culpar é mais sábio silenciar. Deixar que o ego alheio não encontre eco em nós. Abrir mão dos sistemas de ataque e defesa egóicos e encontrar apoio no coração de Deus.

Entregue toda questão a Deus, somente saindo do ego é possível encontrar uma solução verdadeira, pois esta só pode se basear no amor e no perdão. Não sei o que Deus faz, mas sei que ele opera milagres pelo seu Espírito.

Sei que o mundo julga como covardes aqueles que são mansos, mas começo a compreender que só a mansidão é o caminho da paz, capaz de nos levar do mundo ao Céu, mesmo aqui onde o caos do ego caminha em direção a própria destruição.

sexta-feira, 19 de maio de 2017

LIÇÃO 100

Resultado de imagem para flor silvestre azulA minha parte é essencial no plano de Deus para a salvação.
Da mesma forma que o Filho de Deus completa o seu Pai, a tua parte completa o plano do teu Pai. A salvação tem que reverter a crença insana em pensamentos separados e corpos separados que levam vidas separadas e seguem seus caminhos separados. Uma função compartilhada por mentes separadas as une num único propósito, pois cada uma é igualmente essencial para todas.

A Vontade de Deus para ti é a felicidade perfeita. Por que deverias tu escolher ir contra a Sua Vontade? A parte que Ele guardou para assumires na execução do Seu plano te é dada para que possas ser restaurado àquilo que é a Sua Vontade. Essa parte é tão essencial para o Seu plano quanto para a tua felicidade. A tua alegria tem que ser completa para deixar que o Seu plano seja compreendido por aqueles a quem Ele te envia. Eles verão a sua própria função no teu rosto resplandecente e ouvirão o chamado de Deus por eles no teu riso feliz.

Tu, de fato, és essencial para o plano de Deus. Sem a tua alegria, a Sua alegria é incompleta. Sem o teu sorriso, o mundo não pode ser salvo. Enquanto estás triste, a luz que o próprio Deus designou como meio para salvar o mundo fica fraca e sem brilho, e ninguém ri porque todo riso só pode ecoar o teu.

Tu, de fato, és essencial para o plano de Deus. Da mesma forma que a tua luz aumenta todas as luzes que brilham no Céu, a tua alegria na terra chama todas as mentes para que deixem as suas tristezas e tomem os seus lugares ao teu lado no plano de Deus. Os mensageiros de Deus são alegres e sua alegria cura o pesar e o desespero. Eles são a prova de que a felicidade perfeita é a Vontade de Deus para todos aqueles que aceitarão como suas as dádivas do seu Pai.

Não nos deixaremos ficar tristes hoje. Pois se o fizermos, falharemos em assumir a parte que é essencial ao plano de Deus assim como à nossa visão. A tristeza é o sinal de que tu queres desempenhar outro papel em lugar daquele que te foi designado por Deus. Assim, falhas em mostrar ao mundo como é grande a felicidade que é a Sua Vontade para ti. E assim não reconheces que ela é tua.

Hoje, procuraremos compreender que a alegria é a nossa função aqui. Se estás triste, a tua parte não é cumprida e assim o mundo todo fica privado da alegria junto contigo. Deus te pede que sejas feliz para que o mundo possa ver o quanto Ele ama o Seu Filho e que é Sua Vontade que nenhum pesar surja para abater a sua alegria, que nenhum medo o assalte para perturbar a sua paz. Hoje, és o mensageiro de Deus. Trazes a Sua felicidade a todos aqueles que contemplas, a Sua paz a todos aqueles que olham para ti e vêem a Sua mensagem no teu rosto feliz.
...

terça-feira, 16 de maio de 2017

Capítulo 7 - AS DÁDIVAS DO REINO, VII A totalidade do Reino


Resultado de imagem para flores silvestresVII - A totalidade do Reino

1. Sempre que negares uma bênção a um irmão, tu te sentirás privado, porque a negação é tão total quan-to o amor. É tão impossível negar parte da Filiação quanto amá-la em parte. Também não é possível amá-la totalmente às vezes. Não podes estar totalmente comprometido apenas às vezes. A negação não tem poder em si mesma, mas tu podes dar a ela o poder da tua mente, poder esse que é sem limites. Se a usas para negar a realidade, a realidade se vai para ti. A realidade não pode ser apreciada parcialmente. É por isso que negar qualquer parte dela significa que tu perdeste a consciência de toda a realidade...

2. Quando um irmão age insanamente, ele está te oferecendo uma oportunidade de abençoá-lo. A sua necessidade é a tua. Necessitas da bênção que podes oferecer a ele. Não há nenhum outro modo de tê-la, a não ser dando-a. Essa é a lei de Deus e ela não tem exceções. O que tu negas te falta, não porque esteja faltando, mas porque o tens negado em outro e não estás, portanto, ciente disso em ti mesmo. Toda res-posta que dás é determinada pelo que pensas que és e o que queres ser é o que pensas que és. Assim sen-do, o que queres ser determina necessariamente toda resposta que dás.

3. Não precisas da bênção de Deus porque isso tens para sempre, mas precisas da tua. O retrato que o ego faz de ti é de privação, desamor e vulnerabilidade. Não podes amar isso. No entanto, podes muito facil-mente escapar dessa imagem deixando-a para trás. Tu não estás lá e aquilo não é o que tu és. Não vejas esse retrato em ninguém ou o terás aceito como o que tu és. Todas as ilusões acerca da Filiação são dissi-padas conjuntamente, assim como foram feitas conjuntamente. Não ensines a ninguém que ele é o que tu não queres ser. O teu irmão é o espelho no qual vês a imagem de ti mesmo enquanto durar a percepção. E a percepção vai durar até que a Filiação se conheça como um todo. Tu fizeste a percepção e ela tem que durar enquanto a quiseres.

4. As ilusões são investimentos. Elas durarão enquanto tu as valorizares. Os valores são relativos, mas são poderosos porque são julgamentos mentais. A única maneira de dissipar ilusões é retirar delas todo o investimento e deixarão de ter vida para ti, pois as terás colocado fora da tua mente. Enquanto as incluis em tua mente, tu lhes dás vida. No entanto, nelas não há nada para receber a tua dádiva.

5. A dádiva da vida é tua para ser dada, porque te foi dada. Não és ciente da tua dádiva porque não a dás. Não podes fazer com que o nada viva, já que o nada não pode ser vivificado. Por conseguinte, não estás estendendo a dádiva que tu ao mesmo tempo tens e és e assim não conheces o que és. Toda a confusão vem de não estenderes a vida, porque não é essa a Vontade do teu Criador. Tu não podes fazer nada à parte Dele, e efetivamente nada fazes à parte Dele. Segue o Seu caminho para lembrar-te de ti e ensina o Seu caminho para que tu mesmo não o esqueças. Dá só honra aos Filhos do Deus vivo e inclue-te no meio deles com contentamento.

6. Só a honra é dádiva adequada para aqueles que o próprio Deus criou dignos de honra e a quem Ele honra. Dá a eles a apreciação que Deus sempre lhes reserva, porque são os Seus amados Filhos, nos quais Ele Se compraz. Tu não podes estar à parte deles porque não estás à parte Dele. Descansa no Seu Amor e protege o teu descanso amando. Mas ames tudo o que Ele criou, do que tu és uma parte ou não podes aprender sobre a Sua paz e aceitar a Sua dádiva para ti mesmo e como tu mesmo. Não podes conhecer a tua própria perfeição enquanto não tiveres honrado todos aqueles que foram criados como tu.
...

quarta-feira, 10 de maio de 2017

LIÇÃO 222 - Livro de Exercícios



Resultado de imagem para flores silvestresDeus está comigo. Eu vivo e me movimento Nele.

Deus está comigo. Ele é a minha Fonte de vida, a vida dentro de mim, o ar que respiro, o alimento que me sustenta, a água que me renova e me limpa. Ele é o meu lar, onde vivo e me movimento; o Espírito Que dirige as minhas ações, Que me oferece os Seus Pensamentos e Que garante a minha proteção de todas as dores. Ele me cobre com benignidade e cuidados e conserva no amor o Filho que Ele ilumina e que também O ilumina. Como é quieto aquele que conhece a verdade do que Ele diz hoje!

Pai, não temos outras palavras em nossos lábios e mentes senão o Teu Nome ao virmos, em quietude, à Tua Presença agora e ao pedirmos para descansar por um momento Contigo em paz.

UMA INVASÃO SILENCIOSA.

Imagem relacionadaNa superfície da Terra, exatamente agora, há guerras e violência e tudo parece negro. Mas, simultaneamente, algo silencioso, calmo e oculto está acontecendo e certas pessoas estão sendo chamadas por uma Luz mais elevada. 

Uma revolução silenciosa está se instalando de dentro para fora. De baixo para cima. É uma operação global. Uma conspiração espiritual. Há células dessa operação em cada nação do planeta. Vocês não vão nos assistir na TV, nem ouvir nossas palavras nos rádios e nem ler sobre nós nos jornais. 

 Não buscamos a glória. Não usamos uniformes. Nós chegamos em diversas formas e tamanhos diferentes. Temos costumes e cores diferentes. A maioria trabalha anonimamente. Silenciosamente trabalhamos fora de cena, em cada cultura e lugar do mundo. Nas grandes e pequenas cidades, em suas montanhas e vales. Nas fazendas, vilas, tribos e ilhas remotas. 

Você talvez cruze conosco nas ruas. E nem perceba... Seguimos disfarçados. Ficamos atrás da cena. E não nos importamos com quem ganha os louros do resultado, e sim, que se realize o trabalho. De vez em quando nos encontramos pelas ruas. Trocamos olhares de reconhecimento e seguimos nosso caminho. 

Durante o dia muitos se disfarçam em seus empregos normais. Mas a noite, por trás de nossas aparências, o verdadeiro trabalho se inicia. Alguns que conhecem o trabalho nos chamam de "O Exército da Consciência". Lentamente estamos construindo um novo mundo, com o poder de nossos corações e mentes. 

Seguimos com alegria e paixão. Nossas ordens nos chegam da Inteligência Espiritual e Central. Estamos jogando bombas suaves de amor sem que ninguém note: poemas, abraços, músicas, fotos, filmes, palavras carinhosas, meditações e preces , danças, ativismo social, sites , blogs, atos de bondades. O mundo precisa de amor! 

Expressamo-nos de uma forma única e pessoal, com nossos talentos e dons. Sendo a mudança que queremos ver no mundo. Essa é a força que move nossos corações. Sabemos que essa é a única forma de conseguir realizar a transformação. Sabemos que no silêncio e humildade teremos o poder de todos os oceanos juntos. 

Nosso trabalho é lento e meticuloso. Como na formação das montanhas. O amor será a religião do século XXI. Sem pré-requisitos de grau de educação. Sem requisitar um conhecimento excepcional para a sua compreensão. Porque nasce da inteligência do coração, escondida pela eternidade no pulso evolucionário de todo ser humano. 

Seja a mudança que quer ver acontecer no mundo. Ninguém pode fazer esse trabalho por você. Nós estamos recrutando. Talvez você se junte a nós ou talvez já tenha se unido. Todos são bem-vindos. A porta está aberta!

Emmanuel!

terça-feira, 25 de abril de 2017

O ENCONTRO COM O DIVINO

Resultado de imagem para flores silvestres
Eu não sabia o que buscava, não tinha a menor idéia do que estava por acontecer. Não foi por acaso, pois sempre senti que um dia, minha vida se transformaria, que eu renasceria, e minha vida, até então, seria apenas uma sombra daquela que eu estava por viver.

Tive uma vez uma visão: me vi tateando às cegas por um escuro caminho. Penosamente, vagarosamente eu me deslocava, tateando com as mãos e os pés cada pedaço do caminho mergulhado na escuridão. Ocorreu-me de levar as mãos aos olhos, e descobri que usava uma máscara de mergulhador, totalmente negra, e que esta era o motivo de minha cegueira.

Acordei de minha visão, era assim que eu realmente me sentia, em meio ao breu, a tatear pela vida, a procura de enxergar a estrada do porvir. Até quando?

Minha entrada para a Unipaz aplacava minha angústia. Emocionava-me a cada vez que lá estava, e tão intensamente me entregava, que passei a viver experiências inusitadas, de transcendência, de morte. Um dia percebi que estava vivendo uma experiência de cura, pessoal e profunda, sem mestre ou guru. Como se meu próprio Ser se encarregasse de cada momento a ser vivido. Vi-me nas mágicas mãos do destino, que com desvelo me cuidava. Senti-me fechar dentro de mim, como num casulo, e assim me vi a mexer em cada ferida da alma, camada por camada.

Foi assim que a cada mês, a cada semana, a cada dia, eu sentia aproximar-se um momento especial, do qual eu não tinha idéia. Um momento de acordar, de nascer, e intensa era esta sensação, embora fosse silenciosa em meu coração.

E este dia chegou, tão simples, tão profundo. Eu estava em casa, ouvia música e dançava meu CD favorito. Mais uma vez me emocionei, senti um amor profundo em minha alma, havia em mim liberdade, inteireza, amor, paz e uma profunda emoção. Quem é esta pessoa que assim se sente? Quem é esta mulher cheia de emoção e amor? A resposta era tão óbvia: “_ Esta sou eu!” Em tantos momentos mágicos eu assim me sentira, mas estes momentos passavam e eu não me identificava com eles, não sabia que representavam minha verdadeira realidade. Eu vivera toda minha vida me esquecendo de quem eu realmente sou! Agora eu estava diante de mim mesma, do Ser pleno, livre, amoroso e criativo que me habita, que habita a todos nós. A consciência de quem Eu sou, acabava de transformar minha existência, era por esse momento que eu estava aguardando por toda a minha vida. Simplesmente, o instante de vivenciar, conscientemente, minha realidade interior. Logo depois, eu peguei o livro que me acompanhava, em minha jornada, e a página que me aguardava é esta que adapto a seguir:

“Quando o tempo não era conhecido, como hoje nós o conhecemos, houve uma centelha no coração de Deus. Desta centelha surgiram milhares de estrelas, e cada uma delas teve seu nome escrito pela palavra de Deus. Essas estrelas somos nós.

No início não tínhamos forma, éramos totalmente livres e brincávamos de criar e tomar a forma que quiséssemos. Assim tomamos as formas das pedras e dos minerais, das plantas, das árvores e dos animais.

De tanto brincar de tomar formas, passamos a nos identificar com elas, nasceu a sombra, e da sombra a dor. Aos poucos fomos nos esquecendo de que éramos luz e éramos livres, fomos nos esquecendo de nós mesmos...

Um dia ouvimos um grito de dor vindo de algum lugar do espaço. Procuramos por este grito e encontramos um pequeno planeta azul e branco, que clamava por ajuda. Querendo ajudar, aspiramos uma pequena forma humana e nascemos dentro de mais ou menos nove meses.

Ao nascer, ou mesmo antes disso, havíamos nos esquecido de quem éramos. Acabamos por nos identificar com a forma e com a dor que viemos curar.

Mas a Luz que em nós habita sempre clamou por um dia emergir, e quando éramos crianças, em nossas fantasias e anseios desejamos curar uma dor no mundo, a nossa própria dor. Queríamos ser poetas ou curar todas as doenças do mundo. Queríamos cantar ou dançar, queríamos amar ao mundo todo, proteger cada bichinho e cada planta do planeta.

Qualquer que fosse nossa fantasia ou anseio, ela está extremamente ligada à dor mais pungente que sentimos quando éramos crianças, a dor que ainda hoje experimentamos, talvez localizada em alguma parte de nosso corpo. A dor que carregamos ao longo de nossas existências.

Mas trazemos em nós o potencial de curar esta dor que nos habita, esta dor que habita o mundo. Foi para isto que aqui um dia encarnamos, é para isto que estamos preparados.

Falta apenas ser a Luz que somos. Pois esta Luz é nosso curador interno, esta Luz é, realmente, cada um de nós...” (Luz Emergente - 
Barbara Ann Brennan).

Este texto fala de mim mesma, do momento especial que eu acabara de vivenciar, fala de como eu me esquecera de mim mesma, de minha origem divina, celestial, fala da dor de encontrar este momento. Eu realmente não estava só, mas guiada por invisíveis mãos que colocavam as respostas de minha vida a minha frente.

Eu havia construído um outro eu, mais normal, mais prático, mais insensível e distante de minhas profundas emoções. Agora que sei quem realmente sou, eu desejo nunca mais me esquecer. Quero para sempre carregar em meu coração esta emoção, quero trazer para todos os meus dias a luz que em mim jazia adormecida e que agora acorda para me trazer a vida que sempre intuí.

E se dou agora este testemunho, é para dizer que esta viagem não é fantasia, é real, mas é preciso vivê-la. Este caminho interior que trilhei, é um caminho sem volta para todos aqueles que nele se aventurarem. É um caminho infinito, pois infinita é a alma humana, infinita como Deus, infinita como o Universo...

Sinto-me hoje diferente. Sinto que em mim alguma coisa profunda mudou. Compreendo agora minha dor, vivida em tantas existências humanas. Compreendo agora meus anseios de criança. É como se um grande quebra-cabeça se fechasse. Tantas coisas fazem sentido em minha vida, tudo que eu vivi, tudo que senti, tantos sonhos...

Na noite seguinte, tive uma linda visão: vi-me diante de um caminho sinuoso, circundado por alta cerca viva, que dava vista para um jardim, logo adiante. Neste caminho, dezenas de pequenas borboletas azuis, cintilantes, voavam a minha frente. Eu já não mais tateava às cegas o caminho, a venda de meus olhos caíra. Conscientemente, posso trilhar meu caminho, a consciência de minha Luz ilumina meu porvir.

Todos nós vivemos o encontro com o divino, muitas vezes em nossas vidas, diante da beleza da natureza, diante da delicadeza de uma criança, em um encontro de motivações espirituais, diante de um grande amor. São momentos em que nos emocionamos e nos deparamos com o inesgotável manancial de amor que possuímos, quando já não mais nos sentimos separados da natureza e da humanidade que nos cerca. Quando nos sentimos unos com o universo e todas as suas criações. Neste momento sentimos que estamos a adentrar uma outra dimensão, uma dimensão profunda e plena de amor e luz. Não nos identificamos neste encontro, este momento passa, e se torna uma lembrança de êxtase e mistério em nossa vida, até que possamos entender que este êxtase é nossa verdadeira realidade, o outro eu, que mora neste mundo, é apenas a personalidade que criamos para viver, fugindo do medo e da dor. Reencontrar a Luz que somos é o retorno à casa do Pai, o retorno a nossa origem celestial, ao nosso verdadeiro Eu, nossa face Divina.

Este é o momento que tanto aguardávamos, após nossa longa viagem de alguns milhares de anos... Estamos diante do tesouro pelo qual procuramos algures, o qual somente encontramos em nosso coração, a nossa Estrela, a nossa Luz que nos ilumina. Chegamos ao vasto mar no qual agora mergulhamos: o mar de amar, o mar de Ser, o mar de Deus...

Somos outros homens, outras mulheres! Ungidos, abençoados na alma, como que beijados por um anjo! Nunca mais nossa vida será a mesma, temos todos um único destino, o destino de ser Luz sobre a Terra, e doravante, despertar a Luz no mundo!


(De Volta à Casa do Pai - Ana Ventura)



segunda-feira, 24 de abril de 2017

LIÇÃO 223


Imagem relacionadaDeus é a minha vida. Não tenho outra vida, senão a Dele.

1. Eu estava errado quando pensava viver à parte de Deus, uma entidade separada que se movia no isolamento, sem ligações, abrigada dentro de um corpo. Agora sei que a minha vida é a de Deus, que não tenho outro lar e qua não existo à parte Dele. Ele não tem Pensamentos que não façam parte de mim e eu só tenho aqueles que são Dele.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...